Publicado em

Concurso Fotografia Misericórdia “Do confinamento ao reencontro, na Misericórdia”

III edição Concurso de Fotografia

Tema: “Do confinamento ao reencontro, na Misericórdia

O concurso tem como objetivo a promoção do gosto pela arte da fotografia como expressão artística, a busca de imagens da Freguesia da Misericórdia, assim como a promoção e divulgação do seu património social, natural e cultural. Aberto a maiores de 18 anos. Cada participante pode apresentar até 3 fotografias. As fotografias selecionadas serão expostas de 6 a 13 de Novembro no Espaço Cultural das Mercês.

Serão atribuídos os seguintes prémios:

1º Classificado – 1.500 €

2º Classificado – 750 €

3º Classificado – 500 €

Inscrições até 16 de Outubro na Sede da Junta de Freguesia da Misericórdia

ou através do email cultura@jf-misericordia.pt

Ficha de inscrição aqui

Normas de Participação aqui

Ver também: livro «Lisboa Vista de Cima / From Above», dedicado inteiramente à cidade de Lisboa, em edição bilingue (português e inglês), que inclui imagens na Freguesia da Misericórdia.

Lisboa vista de cima mostra uma cidade fascinante, afinal desconhecida. Através do olhar fotográfico de Libório Manuel Silva e do conhecimento da evolução histórica da cidade por parte do historiador Paulo Almeida Fernandes, cada página deste livro é uma revelação sobre a cidade que julgamos conhecer.

Publicado em

Lisboa, Porto e outros livros de fotografia

Lisboa vista de cima mostra uma cidade fascinante, afinal desconhecida. Através do olhar fotográfico de Libório Manuel Silva e do conhecimento da evolução histórica da cidade por parte do historiador Paulo Almeida Fernandes, cada página deste livro é uma revelação sobre a cidade que julgamos conhecer.

Ver também: Lisboa Vista de Cima / From Above + Fotografia assinada

Porto Visto de Cima mostra uma cidade fascinante, afinal desconhecida. Através do olhar fotográfico de Libório Manuel Silva e do conhecimento da evolução histórica da cidade por parte do historiador José Manuel Tedim, cada página deste livro é uma revelação sobre a cidade que julgamos conhecer.

Ver também: Porto Visto de Cima / From Above + Fotografia assinada

Convidamos-vos a estrangeirar por esta terra de proximidades, deambulando como um flâneur, nesta Braga simultaneamente pagã e cristã, como já não se vê por aí, com todo o tempo do mundo, errante, apaixonado, caminhando incógnito por entre a multidão, para nos projetarmos nos outros, com quem trocamos o olhar fugaz, às vezes esboçando uma saudação, mas também mirando para dentro de nós, diluindo-nos na paisagem.

Os castelos têm ainda hoje uma presença muito marcante na paisagem portuguesa e povoam a nossa imaginação com histórias de mouras encantadas e de valentes guerreiros. Quer mantenham a sua silhueta altaneira, quer estejam em ruínas, eles continuam a ter muito para nos revelar sobre os homens que os ergueram, que os protegeram e, por fim, que os abandonaram.

Este livro, com as belas imagens de Libório Manuel Silva e o texto informado e rigoroso de Miguel Gomes Martins (um especialista consagrado da arte militar medieval), constitui uma viagem pela história maravilhosa dos castelos medievais portugueses. Uma jornada de Bragança a Silves, passando por todas as outras regiões do país.

André Soares foi o maior vulto do rococó português. Autodidata, desenvolveu a sua arte a partir de gravuras de Augsburgo. A sua obra é profundamente emotiva. Desenvolve-se, sobretudo, no domínio da arquitetura e da talha e está espalhada pelo norte de Portugal, de Viana do Castelo a Guimarães, Lamego e vários outros locais, tendo como centro principal a cidade de Braga. Este livro traça o seu percurso biográfico, analisa as razões por que foi convidado a fazer várias obras e estuda o seu singular percurso artístico, entre o tardobarroco e o rococó. Dá a conhecer as suas obras, com especial relevância para as localizadas na área de Braga. Obras como a capela dos Monges, no convento dos Congregados, podem contar-se entre as mais impressionantes do tardobarroco na Europa. Já o Palácio do Raio, a fachada da capela de Santa Maria Madalena da Falperra e a insólita casa de Fresco na mata do Bom Jesus do Monte são obras-primas do rococó europeu, o mesmo se podendo dizer do conjunto da talha do mosteiro de Tibães, nomeadamente a da capela-mor.

As incríveis fotografias das gentes do campo, que parecem pinturas com uma dimensão bíblica, do veterinário já considerado o principal retratista da ruralidade portuguesa, que tem acumulado prémios e distinções internacionais como nenhum outro fotógrafo.

Fotos sumptuosas que nos enchem alma e olhos, parecendo aquecer-nos e iluminar por dentro.

Brilho, textura, cor, reflexão, forma, função, uso, técnica, matéria, ritmo, escala, geometria, pele, mensagem, experiência estética, memória… o azulejo é, desde há vários séculos, uma arte diferenciadora da paisagem cultural portuguesa.

Neste livro, conceituados investigadores, arquitectos, artistas, designers, antiquários, gestores de património ou coleccionadores respondem à pergunta “o que é o azulejo?”. Os textos, tão ricos como a expressão que procuram “definir”, revelam uma multiplicidade de olhares que, tal como as fotografias gerais e de pormenor, convidam a descobrir novas formas de entender esta arte. E não poderia ser de outro modo, uma vez que o livro partilha com o azulejo uma das suas características mais interessantes: é composto por unidades que ganham sentido quando integradas no conjunto e em contexto, motivando leituras mais vastas que ultrapassam em muito a soma das partes.

Depois de percorrer as “definições” propostas e de se deleitar com imagens muito sugestivas de revestimentos em azulejo, o leitor construirá a sua própria definição.

capa-livro-ca-fotografia-9ed-1000px

FOTOgrafia: Luz, Exposição, Composição, Equipamento e Dicas para Fotografar em Portugal (9.ª edição, revista e aumentada)

Obra de referência sobre os principais temas da fotografia digital, transmitindo conhecimento teórico e prático de forma estimulante, com o objectivo claro de fazer do leitor um melhor fotógrafo.

Ver livros à venda na Loja

Publicado em

Workshop de Fotografia | Estrela Geopark no Outono

A serra da Estrela é um território que encerra em si uma geografia muito particular, com uma paisagem única, reflexo de milhões de anos de evolução e reconhecida pela UNESCO como Geopark Mundial. Esta é uma Montanha de sentidos, onde encontramos locais icónicos que nos transportam para o ponto mais alto de Portugal Continental. Aqui, somos guiados por formas esculpidas pelo gelo de antigos glaciares e pelas ruas das aldeias alcandoradas na serra ou as vilas e cidades que se espraiam no seu sopé.

Este Workshop de Fotografia pretende ser muito mais do que uma simples aprendizagem,pretendemos que através da objetiva experiencie a identidade deste Território, conheça locais de cortar a respiração e partilhe a seu conhecimento com outros fotógrafos. Entre os icónicos vales glaciários de Loriga, Zêzere ou Alforfa, passando pelos imponentes covões, como o da Ametade, ou os majestosos picos rochosos dos cântaros Magro, Gordo e Raso, sem esquecer a beleza enigmática do Poço do Inferno, esta é uma viagem que nos possibilitará conhecer melhor o território, permitindo novas experiências fotográfica.

Ver aqui mais informações.

Publicado em

Lisboa Vista de Cima / From Above + Fotografia assinada (edição limitada a 200 exemplares)

LISBOA VISTA DE CIMA / FROM ABOVE + FOTOGRAFIA ASSINADA

PRÉ-VENDA (LIVRO DISPONÍVEL A 10/SETEMBRO)

1ª edição do livro com fotografia assinada, numa edição limitada a 200 exemplares.

Fotografia com 18*27cm ou 28*42cm (+2cm de margem branca), em papel Fineart ILFORD Smooth Cotton Rag 310gr.

(Notas: Moldura e passepartout não incluídos. Portes gratuitos para Portugal.)

Fotografia / PhotographyLibório Manuel Silva

Texto / TextPaulo Almeida Fernandes

Tradução / English translationTimoty Hinchey

Pág.s: 156 (a cores; capa dura com sobrecapa; formato 24,4 cm * 32,1 cm * 2 cm; 1,4Kg)

1.ª Edição / 1st Edition: 10/Setembro, 2020

ISBN: 978-989-615-231-4

Editora / Published by: Centro Atlântico

Publicado em

LISBOA AINDA – Olhares sobre a cidade em quarentena

Lisboa sofreu, durante a quarentena, uma alteração profunda na sua vivência que ficará, para sempre, na memória coletiva. Aos fotojornalistas coube a difícil tarefa de captar imagens diretamente relacionadas com a pandemia, imagens de pesar e de sofrimento humano. E também a tarefa, não menos difícil, de ir registando, através das suas objetivas, as alterações profundas que se tinham operado no nosso mundo quotidiano. «Fotografar a cidade parada. Sem o aeroporto e as escolas, mas também sem teatros e cinemas, cafés e esplanadas, restaurantes e bares, concertos e bailados, lojas e quiosques, floristas e vendedores ambulantes, mercados e feiras. Com a cidade parada, sem o movimento dos seus habitantes, desapareceram os pequenos gestos de cada um e que fazem o dia a dia de todos – “Lisboa não tem beijos nem abraços (…) não tem passos”, como tão bem descreveu Manuel Alegre durante este período, num poema que marcará para sempre este tempo e que empresta o título à exposição – Lisboa Ainda».

Ver aqui

Publicado em

CCDR-N à procura da melhor fotografia do GERÊS-XURÉS

A CCDR-N, em parceria com o MIRA FORUM, lançou o concurso “GERÊS-XURÉS: EM FOTOGRAFIA”. A iniciativa surge no âmbito do projeto de dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça do Gerês-Xurés e pretende contribuir para a revelação e divulgação do trabalho de fotógrafos profissionais e amadores, expondo o seu trabalho e procurando divulgar a beleza e a harmonia ambiental da Reserva junto de um público nacional e internacional. As candidaturas foram prolongadas até ao dia 18 de setembro.

O júri que avaliará os elementos fotográficos submetidos é constituído por elementos da CCDR-N, da ADERE Peneda-Gerês, da Agência de Turismo da Galiza, da Universidade do Porto e da Galeria MIRA FORUM. Todas as informações sobre as submissões de candidatura estão disponíveis no Regulamento do Concurso (disponível aqui).

O projeto “GERÊS_ XURÉS_ DINAMÍCO”, apoiado pelo Programa Interreg VA Espanha-Portugal,  foi desenhado para contribuir para a melhoria do estado de conservação do habitat da Reserva da Biosfera Transfronteiriça, tanto de forma direta, através da melhoria das suas condições ambientais, como indireta, dando a conhecer e integrando na vida quotidiana da população local critérios de conservação e desenvolvimento  socioeconómico.

A Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés (RBTGX) foi declarada a 27 de Maio de 2009, pela UNESCO, e está localizada na Região Norte de Portugal e na Comunidade Autónoma da Galiza (Espanha), unindo o Parque Nacional da Peneda-Gerês ao Parque Natural Baixa Limia – Serra do Xurés.

Publicado em

Prémio Estação Imagem 2020 Coimbra – Candidaturas até 31 Maio

PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM 2020 COIMBRA

ALARGAMENTO DO PRAZO DE CANDIDATURAS | 31 DE MAIO

As medidas de contenção social, as acções de combate e prevenção à pandemia do Covid-19 e o horizonte de incerteza que lhe está associado, impõem que não tenha sido ainda agendada a realização do PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM 2020 COIMBRA, bem como o festival de fotojornalismo a ele associado.

Há, por isso, que aguardar pelo fim da crise e as consequentes decisões das autoridades para que possa ser marcada a data, que anunciaremos logo que estejam reunidas essas condições.

Como entidades organizadoras, a Estação Imagem e a Câmara Municipal de Coimbra reafirmam o propósito de, uma vez ajustada a disponibilidade do júri, avançar de imediato com essa indicação.

Entretanto, face ao arrastamento da situação e aos condicionalismos em que todos vivemos, a organização decidiu prolongar até ao próximo dia 31 de Maio o prazo das inscrições para o PRÉMIO e BOLSA ESTAÇÃO IMAGEM 2020 COIMBRA, que decorre desde 11 de Março e deveria terminar no dia 5 de Abril.

Vivemos tempos de grandes desafios e, para lá da protecção individual, a proteção da saúde pública é uma missão que a todos convoca. Prometemos estar atentos ao evoluir da situação e dar notícias logo que possível.

(Fonte: Estação Imagem)

Ler também a notícia do Município de Coimbra “Prémio Estação Imagem 2020 será em Coimbra e é apoiado com 75.000 euros

Fonte da imagem: Município de Coimbra

Publicado em

Cidades vazias, Covid-19, teletrabalho, estatísticas, sugestões, legislação e contactos de emergência

Cidades Vazias – FOTOGRAFIA Portugal ® https://www.facebook.com/groups/cidadesvazias/ pretende ser um novo grupo de partilha de imagens de ambientes citadinos sem pessoas (ou quase sem pessoas) na sequência da situação delicada que estamos a viver relativamente à evolução da pandemia COVID-19 e às medidas recentemente anunciadas pelo Governo e ao Plano de Contingência em vigor, demonstrando a enorme responsabilidade dos portugueses a ficarem em casa.

De um dia para o outro as cidades ficaram vazias, dando aos fotógrafos (e a todos os apaixonados pela fotografia) a oportunidade de as fotografarem como nunca as mesmas foram vistas.

Usa a tua criatividade, escolhe o teu melhor ângulo e partilha neste grupo as tuas imagens!

Além da partilha de imagens de civismo, pode ainda visualizar:

  • Contactos importantes e de emergência
  • Informações e legislação sobre Teletrabalho e Ensino à distância
  • Estatísticas e gráficos de evolução epidemiológica da pandemia COVID-19

Não se pretende com este grupo que as pessoas saiam à rua especificamente para fotografarem nem que se encontrem ou aproximem de outras pessoas, mas apenas que, se tiverem de sair à rua ou das varandas das suas casas, que fotografem essas mesmas ruas sem pessoas, demonstrando o civismo e a enorme responsabilidade dos portugueses.

A título de exemplo, ver vídeo Porto. que mostra a cidade vazia e a responsabilidade dos seus habitantes!

Nunca tão quieto, nunca tão silencioso e nunca tão unido. Assim é o Porto Invicto, que sabe que estamos em guerra e #FicaEmCasa.””O país é convocado a ficar em casa e, daqui, da cidade Invicta, os portuenses entendem que é esse o preço a pagar para rapidamente retomarem a normalidade das suas vidas.”

Fonte: Porto. http://www.porto.pt/

#ficaemcasa #fiqueemcasa

Exposição “LISBOA AINDA – Olhares sobre a cidade em quarentena

FOTOGRAFIA Portugal ® implementou novas formas de trabalho junto dos seus colaboradores e parceiros de forma a ajustar-se às normas da DGS (Direção Geral de Saúde) do Governo de Portugal e ao Plano de Contingência, face à pandemia COVID-19, que está internamente a ser implementado e ajustado continuamente, em função dos desenvolvimentos da situação epidemiológica.

O teletrabalho é uma das formas, a par das novas tecnologias, que nos permitem estar contactáveis por diversas vias: email, skype, whatsapp, vídeo-conferência, telemóvel, telefone, de forma a respondermos aos desafios e solicitações dos nossos parceiros sem que precisem de nos contactar fisicamente.

Continuar a ler Cidades vazias, Covid-19, teletrabalho, estatísticas, sugestões, legislação e contactos de emergência