Publicado em

Cidades vazias, Covid-19, teletrabalho, estatísticas, sugestões, legislação e contactos de emergência

Cidades Vazias – FOTOGRAFIA Portugal ® https://www.facebook.com/groups/cidadesvazias/ pretende ser um novo grupo de partilha de imagens de ambientes citadinos sem pessoas (ou quase sem pessoas) na sequência da situação delicada que estamos a viver relativamente à evolução da pandemia COVID-19 e às medidas recentemente anunciadas pelo Governo e ao Plano de Contingência em vigor, demonstrando a enorme responsabilidade dos portugueses a ficarem em casa.

De um dia para o outro as cidades ficaram vazias, dando aos fotógrafos (e a todos os apaixonados pela fotografia) a oportunidade de as fotografarem como nunca as mesmas foram vistas.

Usa a tua criatividade, escolhe o teu melhor ângulo e partilha neste grupo as tuas imagens!

Além da partilha de imagens de civismo, pode ainda visualizar:

  • Contactos importantes e de emergência
  • Informações e legislação sobre Teletrabalho e Ensino à distância
  • Estatísticas e gráficos de evolução epidemiológica da pandemia COVID-19

Não se pretende com este grupo que as pessoas saiam à rua especificamente para fotografarem nem que se encontrem ou aproximem de outras pessoas, mas apenas que, se tiverem de sair à rua ou das varandas das suas casas, que fotografem essas mesmas ruas sem pessoas, demonstrando o civismo e a enorme responsabilidade dos portugueses.

A título de exemplo, ver vídeo Porto. que mostra a cidade vazia e a responsabilidade dos seus habitantes!

Nunca tão quieto, nunca tão silencioso e nunca tão unido. Assim é o Porto Invicto, que sabe que estamos em guerra e #FicaEmCasa.””O país é convocado a ficar em casa e, daqui, da cidade Invicta, os portuenses entendem que é esse o preço a pagar para rapidamente retomarem a normalidade das suas vidas.”

Fonte: Porto. http://www.porto.pt/

#ficaemcasa #fiqueemcasa

FOTOGRAFIA Portugal ® implementou novas formas de trabalho junto dos seus colaboradores e parceiros de forma a ajustar-se às normas da DGS (Direção Geral de Saúde) do Governo de Portugal e ao Plano de Contingência, face à pandemia COVID-19, que está internamente a ser implementado e ajustado continuamente, em função dos desenvolvimentos da situação epidemiológica.

O teletrabalho é uma das formas, a par das novas tecnologias, que nos permitem estar contactáveis por diversas vias: email, skype, whatsapp, vídeo-conferência, telemóvel, telefone, de forma a respondermos aos desafios e solicitações dos nossos parceiros sem que precisem de nos contactar fisicamente.

Continuar a ler Cidades vazias, Covid-19, teletrabalho, estatísticas, sugestões, legislação e contactos de emergência

Publicado em

Visões sobre o Porto

O Porto. Uma das cidades mais fotogénicas do mundo acompanhada pelo rio Douro é um local perfeito para fotografia paisagística urbana. As fotos aqui expostas foram tiradas entre 2013 e 2018. Durante estes anos houve a procura insaciável dos melhores locais para fotografar o Porto com a conjugação da melhor luz possível e que retratasse a cidade o melhor possível. Essa procura felizmente nunca estará terminada, pois a cada visita o Porto oferece sempre algo novo.

Veja aqui a exposição Visões sobre o Porto, de Vitor Ferreira.

Publicado em

Shades of Sensuality

A obra da fotógrafa alemã Tina Trumpp está pela primeira vez exposta em Portugal, na Leica Gallery Porto. Apresentada no ambiente espaçoso e clássico da galeria, ‘Shades of Sensuality’ centra-se no seu trabalho em torno do nu feminino. Recorrendo a luz natural e linhas suaves, Tina Trumpp cria imagens delicadas e sensuais do corpo da mulher. O mistério da feminilidade é revisitado a partir de uma nova perspectiva – não enquanto mero objecto de desejo, mas antes com uma elegância refinada, evidenciando confiança, força e uma beleza deslumbrante.

Ao imergir no mundo visual de Tina Trumpp, sente-se a intensidade e a alma da artista durante os encontros com as suas musas. No tempo presente destas imagens sobrepõem-se os sonhos e as fantasias de quem as contempla. Longe de uma representação superficial, as suas fotografias remetem-nos para uma linguagem visual mais próxima da visão de um pintor diante do corpo feminino. George Bataille escreveria que “o erotismo é a aprovação da vida até na morte”. A sensualidade do nu feminino, vista por uma mulher, é simultaneamente sedutora e provocadora. A artista cria uma visão muito pessoal do corpo feminino num momento de aceso debate (quase puritano) sobre a mulher. A sua obra é um claro símbolo de amor e a forma como observa a feminilidade é uma encantadora ode à beleza.

Publicado em

FOTOGRAFAR NA CHUVA

Nova dica de fotografia (grátis)

FOTOGRAFAR NA CHUVA

Por: Ana Mestre Photographia

(6 páginas, formato PDF)

Fotografar em dias de chuva não é tarefa fácil. Apesar de haver no mercado câmaras à prova de água, as máquinas profissionais não o são e, este é o maior problema dos fotógrafos que querem ir para a rua captar as imagens maravilhosas que podem surgir em dias chuvosos.

Quem é que nunca viu fotografias fantásticas de gotas de água a cair de telhados, de pessoas de guarda-chuvas coloridos, reflexos, texturas, e não se roeu de inveja a pensar “como é que eles fazem”?!

Este tipo de fotografia transforma-se num verdadeiro desafio e pode ser muito viciante.

Publicado em

Inquérito: câmaras fotográficas no mercado português

Inquérito sobre percepções que existem acerca das marcas de câmaras fotográficas no mercado português no âmbito da cadeira de Brand Management (Gestão de Marcas) do Mestrado em Gestão da Universidade Católica de Lisboa.

https://ucplbusiness.co1.qualtrics.com/jfe/form/SV_czEw0N6lIgHqGzz

Objectivo: melhorar o contacto que existe entre as marcas e os fotógrafos portugueses, de forma a fomentar um espaço cultural mais rico para a arte da fotografia.

Publicado em

200 DIAS PARA DENTRO

200 DIAS PARA DENTRO

Exposição de fotografia de Danny Bittencourt

Tantas vezes anestesiamo-nos com falsos sorrisos e imagens superficiais. Me parece que afastar a dor dos nossos olhos e dos olhos dos outros é o mais escolhido entre aqueles que preferem não sentir. O trabalho traz como proposta, sentir. Entender e expor. E assim incentivar que o expectador também sinta e também encare suas angústias e agudos. Sentir faz com que a vida pulse de maneira mais profunda, negar a dor é como viver na superfície, inerte.

O “200 dias para dentro” nasce da dor. Como numa clichê poesia shakespeariana, a artista se vê obrigada a se afastar do grande amor de sua vida por 200 dias. Nesse período, além da produção de imagens e textos para dar conta da agressividade de uma distância imposta, a artista entende que a exposição do sentir se fazia necessário. Que mesmo fechada para o mundo, suas imagens convidam para um diálogo. Uma reflexão sobre entender e encarar aquilo que machuca. Um convite para que o expectador também se enxergue e se enfrente. Um trabalho poético, sensível e profundo.

Publicado em

Fotografia de Natureza

Nova dica de fotografia (grátis)

Fotografia de Natureza

Por: Ana Mestre Photographia

(6 páginas, formato PDF)

O Mundo Natural, inspira, há muito tempo, fotógrafos e outros artistas. Costumo dizer que a natureza é a minha artista preferida, pela forma como pinta o céu ao fim e ao inicio dos dias, pelas cores maravilhosas com que se veste no outono, pelas formas maravilhosas que apresenta em flores, texturas de folhas, e pelo mundo mágico dos cogumelos que nos transportam à infância e aos filmes da Disney.

Fotografar pode ser uma óptima desculpa para um passeio na floresta, actividade que, como está mais que provado, tem inúmeros benefícios para a nossa saúde. Se aliado a isso, podermos trazer imagens maravilhosas para a nossa colecção, tanto melhor.

Neste artigo, dou-te quatro dicas essenciais para poderes melhorar as tuas fotografias de plantas, líquenes, cogumelos ou até insectos.

Publicado em

Foco (IV) – Distância Hiperfocal

Nova dica de fotografia (grátis)

Foco (IV) – Distância Hiperfocal

Por: Ana Mestre Photographia

(6 páginas, formato PDF)

Em fotografias em que temos diversos elementos, a diferentes distâncias da câmara, ou seja, vários planos, geralmente, pretendemos ter, na imagem final, o maior número de elementos em foco, para que fiquem nítidos. As fotografias de paisagem são o melhor exemplo do descrito acima, mas existem outras. Até podemos saber que, à partida, um maior valor de abertura e distâncias focais curtas (grande-angular) maximizam a profundidade de. Então e isso não chega? Não! Se queres ser rigoroso e fazer fotografias fantásticas e com a máxima nitidez possível, aprende com esta dica o que é a Distância Hiperfocal e como podes tirar partido dela.